Pular para o conteúdo principal

partes dos royalties do petróleo brasileiro vai para a educação

A EDUCAÇÃO VAI RECEBER DINHEIRO DOS ROYALTIES DO PRÉ-SAL

A educação ganha um reforço importante em dinheiro vindo dos royalties do petróleo brasileiro. Esta conquista foi selada com a sanção da lei pela Presidente da Republica que destina 75% dos lucros para educação e 25% para a saúde. Estes recursos não chegarão a sua totalidade em parcela única, mas vem chegando gradativamente como está especificado na lei: O primeiro repasse, de R$ 770 milhões, deverá ser feito ainda em 2013; chegando a R$ 19,96 bilhões, em 2022, e a um total de R$ 112,25 bilhões em dez anos.
a educação vai receber recursos ao longo dos anos

A educação ganha um reforço importante em dinheiro vindo dos royalties do petróleo brasileiro. Esta conquista foi selada com a sanção da lei pela Presidente da Republica que destina 75% dos lucros para educação e 25% para a saúde. Estes recursos não chegarão a sua totalidade em parcela única, mas vem chegando gradativamente como está especificado na lei: O primeiro repasse, de R$ 770 milhões, deverá ser feito ainda em 2013; chegando a R$ 19,96 bilhões, em 2022, e a um total de R$ 112,25 bilhões em dez anos.
São recursos que somaram a outros já existentes e que podem em longo prazo transformar a péssima situação da educação e dos professores, em uma condição bem melhor se todos estes recursos   forem  realmente direcionados para a educação.E não para outras finalidades  que não seja a educação. Nós já vimos este filme acontecer com a saúde,lembram  do imposto das movimentações bancarias que eram para a saúde foram desviadas para abastecer a corrupção e deixaram a saúde agonizando na UTI até hoje.

Os gestores públicos terão esta fonte permanente para garantir uma educação de qualidade e um salário condizente aos clamores por uma remuneração equitativa para os professores.  Os grandes responsáveis para garantir o funcionamento da educação dos nossos estudantes mesmo ganhando um ínfimo salário até o momento.
A partir de agora não tem mais desculpas para pagarem aos educadores um salário de fome. Esta fonte de recursos permanente será um grande incremento para a manutenção dos salários e também de produzir grandes melhorias nas escolas e principalmente no sistema de ensino.
Estes recursos só tem aumentar em valores substanciais por que a produção de petróleo em nosso Brasil é volumosa e consequentemente os lucros deste produto acompanharão a sua produção que será em grande escala. O mais temido nesta questão é o desvio destes bilhões para outras coisas que não tem nada relacionando com a educação. O grande questionamento de sempre  será que estes recursos chegarão ao seu destino final à educação? Terá de fato uma aplicação integral?. Estas grandes dúvidas só a história vai nos descrever, nos próximos anos.

O primeiro repasse, de R$ 770 milhões, deverá ser feito ainda em 2013; chegando a R$ 19,96 bilhões, em 2022, e a um total de R$ 112,25 bilhões em dez anos.
quanto a educação vai receber em anos

Como é de praxe que a corrupção desencadear-se em todos os setores da administração pública desta nação sempre surgem as dúvidas da boa aplicação deste recursos para a área da educação. Estes inescrupulosos gestores públicos podem desviar tranquilamente estes recursos que são destinados à educação para abastecer a podridão das negociatas corruptas que são maquinadas para desvirem estas grandes soma que é sagrada e destinada para a educação. A população em geral deve ficar muito atenta se de fato este dinheiro que sairá do petróleo vai mesmo para a educação ou para outros setores contrários a educação. Qual quer desconfiança é fundamental que os cidadãos denunciem as autoridades para serem tomadas às providências cabíveis determinadas pela lei. A fiscalização daqui para frente vai ser vital para coibir que estes recursos não alimente a corrupção, mas que seja aplicado em sua integralidade para a educação. Fiscalizar é exercer a cidadania em plenitude de todos os brasileiros.  


Sugiro aos governadores que comecem a utilizar este dinheiro da educação para honrarem o compromisso com a lei do piso nacional dos professores. Imediatamente pagar aos professores o que eles estão exigindo; que se pague o piso em sua integralidade para terminar as greves de muitos estados do país. Então, dinheiro existe logo não se pode justificar simploriamente afirmando aos educadores e a sociedade que não tem mais dinheiro para a educação. Falta agora boa vontade de colocar em prática politicas urgentes que venham solucionar os problemas salariais dos professores e simultaneamente resolver os problemas de todo o sistema educacional; para garantir qualidade na educação e na aprendizagem dos nossos estudantes brasileiros.

Comentários