Pular para o conteúdo principal

Peso em bronze sem valor comercial, mas tem seu valor histórico.

PESO ANTIGO PRODUZIDO EM BRONZE SEM VALOR MONETÁRIO,MAS TEM SEU VALOR HISTÓRICO.


http://www.analiseagora.com/
Peso antigos de 2 gramas.
Peso antigo feito em bronze foi encontrado em meus arquivos mortos. Obviamente é uma peça bonita, antiga não se usa mais no comercio. Porém, coloquei na estante e permanece como objeto de decoração.
Daria para fazer grandes elucubrações em torno do mesmo e questionar quantas coisas foram pesadas com este artefato que com toda certeza é apenas uma parte de um conjunto que formaria um total de um quilo. Vamos deixar as especulações de lado. Somente gostaria de entender como esta peça antigo veio parar em minha gaveta bem bagunçada de papeis e documentos importantes que não podem ser incinerados.

Hoje procurando um velho documento, o papel já amarelado pela ação do tempo, deparei-me com este elemento quase raro na atualidade onde tudo são pesos e balanças de altíssimas precisões. Contudo, analisei importante imediatamente   tomei a decisão de resgatar da gaveta de papeis alguns destruídos pelas traças.   Trouxe até a estante e vai ficar como objeto simplesmente nostálgico de decoração sem muita graça para muita gente. E já ouvi algumas pérolas de comentários coisa de velho, artifício das cavernas, lixo para a reciclagem, saiu da pré-história, deveriam ir para o museu etc. comentários desse tipo e assim por diante, mas mesmo assim, esta quinquilharia permanecerá na estante não sei por quanto tempo, mais vai!

Tudo hoje é pesado em balanças de precisão e tudo digital, este peso ou peça velha é mais uma invenção que entra para as coleções particulares. E vai mostrar e servir apenas como registro para as novas gerações que um dia isso existiu e foi uma ferramenta muito importante para todos que trabalharam no ramo do comércio com balanças e pesos da época. Considerei interessante e, portanto, resolvi fazer esta postagem com este peso de 200 gramas. Para muitos mesmo que seja insignificante, penso que um pedacinho de uma época extraordinária, e serve para contar a história comercial de muita gente. Sendo assim, ele um dia foi muito importante para alguém provavelmente da família de outras gerações, ou quem sabe um amigo comerciante.  O que restou foi apenas este item que convém como lembrança de um trabalho, de uma luta para sobreviver. Até agora permaneço no mesmo questionamento como este peso uma peça histórica chegou até a minha gaveta desorganizada?

Organizar alguma coisa em minha vida é um grande martírio só faço por que realmente sou obrigado. Principalmente quando se trata de documentos! Até postei outro dia um artigo que fala sobre isso “o hábito forçado de arquivar documentos” a lei nos obriga a fazer isso se não o prejuízo financeiro pode ser o dobro dependendo das circunstancias.  Porém, não vem ao caso este tema. Estou agora falando é do peso velho que é uma legitima peça de decoração para muitos já tinha o jogado no lixo. Contudo, prefiro valorizar as coisas antigas por quer um dia foram úteis e por isso devem ser preservadas e valorizadas. Eu sei de sua importância histórica ou talvez nenhuma, estou num grande engano ajuntando mais um objeto sem valor e que talvez nunca tivesse tido valor. Todavia vejo com outros olhos, ou seja, tem uma grande estima e conclui-se que não tem preço para vender, somente doaria para o museu da minha cidade se alguém da administração mostrasse interesse para completar uma coleção do museu.

Agora venho eu querendo valorizar algo que talvez fosse e será sempre insignificante, em vias das dúvidas vou deixa o simples objeto em sua quietude eterna no seu cantinho reservado exclusivamente só para ele.  Particularmente gostei e vou deixar como peça de decoração em minha simples estante. Hoje tenho a certeza de que os pesos antigos não são lendas e existiram de verdade. É um pouco da história dos pesos e medidas para contar e mostrar para as gerações atuais que lidam com as coisas sofisticadas, mas se descartam a cada segundo, atendendo os apelos do consumismo desenfreado e insaciáveis.    

Postagens mais visitadas deste blog

O abc da mãe e suas qualidades.

As mães e suas qualidades no seu abc. As mães quantas qualidades elas possuem, desenvolvem e as colocam em prática, diariamente, vinte e quatro horas; durante uma vida inteira em prol dos seus filhos. Entretanto, dificilmente os filhos percebem e reconhece está árdua luta das mães e são gratos a elas.  Observem neste singelo texto, quanto as progenitoras fazem para seus filhos.
Estes dons surgem desde quando ela engravida pela primeira vez dão à luz seus filhos (as). Elas no cotidiano colocam em prática através de sua consciência maternal todas suas qualidades de mães para a proteção, provisão e educação dos filhos. O mais estranho e ingrato é que poucos filhos reconhecem a importância da sua mãe enquanto estão juntos. Muitos somente irão reconhecer e se lamentarem a sua real importância quando elas morrem.

Indiferença é este sentimento negativo presente nas relações humanas.

Este sentimento ruim, a indiferença está presente na vida e setores sociais. A indiferença é um dos sentimentos humanos extremamente impresumível inerte em sua índole humana. Todavia, quando é despertada provoca indignação à pessoa alvejada. Este sentimento negativo pode estar infiltrado em inúmeras circunstancias da vida. O mais preocupante é a insensibilidade neste mundo individualista; mesmo diante de muitas amizades virtuais vazias e geladas de sentimentos. Podem-se perceber nas relações familiares em gerais e entre amigos. 
No plano social, há muitas situações onde as pessoas reagem plenamente indiferentes, em relação aos semelhantes nas situações de fragilidade e incapacidade. São característicos dos homens reagirem indiferentemente frente aos problemas de outrem. No âmbito governamental, o sentimento de indiferença é visível e constante por parte das autoridades que se comportam em total indiferença frente aos problemas sociais do povo. Também este sentimento é muito presente ent…

Quando a ganância vem ofuscar a razão.

Quando a razão é ofuscada pela ganância do ter, o homem caminha para autodestruição do ser.A ganância um dos sentimentos inatos dos homens carregados de muitas perversidades próprias de sua natureza pecaminosa e insaciável para querer tudo que os sentidos percebem. Averiguada, desde o início da humanidade até os dias de hoje, tem causado muitas dores e sofrimentos ao ganancioso e a sociedade. Na atualidade surge com mais intensidade e métodos extremamente nefandos para conseguir os desejos materiais impossíveis, muito dinheiro e poder sem limites. O brilho das moedas recebidas de maneira fraudulenta vem ofuscar a razão deixando a entorpecida para qualquer tentativa de chamar a reflexão, a sanidade humana, fundamentada nos valores éticos e morais.