Vaticano vacante espera da fumaça branca.

A igreja neste momento está em plenas ebulições em torno do próximo conclave para a escolha do próximo pontífice.
Um fevereiro histórico para a Igreja Católica.
O mês de fevereiro de 2013 está se despedindo e vai deixando suas marcas que entrarão para os anais da história da humanidade. Esta renúncia do papa Bento XVI será um marco, mais um capítulo especial da história eclesiástica católica repleta de fatos alguns noticiada pela mídia. Há alguns enigmas envolvendo a renúncia papal que talvez a santa Sé já mais os coloque a público. 
Sem sombra de dúvidas o fato histórico marcante de fevereiro a nível mundial foi à renúncia do papa Bento XVI. Este episódio histórico teve seu capitulo iniciado no dia 11/02, quando houve o manifesto da renúncia e culminou-se hoje, dia 28/02/2012, através da consumação do anunciado. Deixando a Cátedra de Pedro na vacância até o surgimento da fumaça branca sair da chaminé pontifícia, sairá à decisão do conclave. Será o anuncio de que foi escolhido o novo papa da Igreja Católica. Uma nova história, um novo capitula a ser escrito pelo novo pontífice.   Principalmente para os católicos. Os teólogos ganharão uma ótima pauta de investigações e estudo teológico para futuros esclarecimentos das reais razões para esta renuncia precoce, do chefe pleno da Igreja Católica.

Óbvio que terão a partir de agora, muito tempo para criarem suas teses entorno deste assunto e lançarem propostas radicais para mudanças que venham provocar substanciais transformações na Igreja Católica, no intuito de uma adequação aos novos tempos. Este processo não é para o momento atual; isto ficará para os próximos longos anos.

A igreja neste momento está em plenas ebulições em torno do próximo conclave para a escolha do próximo pontífice. O próximo papa provavelmente, não terá grandes possibilidades de fazer uma profunda mudança doutrinária que venha renovar de fato a Igreja em curto prazo. A não ser que escolhessem um novo papa disposto a encarrar de frente os problemas da igreja e os vários setores reacionários que interrompem o trabalho de quem pretende fazer alguma mudança na Igreja. Estes mesmos grupos tentarão impedir qual quer iniciativa de quem vai chefiar a Igreja durante os próximos anos. Para obstruir a ação destes setores reacionários, necessariamente deve ser eleito um para disposto a enfrentar sem medo, ser forte, obrigatoriamente, terá que ter uma visão de futuro de uma igreja nova de doutrinas teológicas que correspondam às necessidades dos avanços de uma sociedade mundial moderna.
Este conclave em formação onde todos os cardeais possuem as credenciais de aptidão para votar e serem votados, um deles será eleito papa. Em princípio não se percebe nenhum que tenha perfil destemido capaz de provocar uma impactante reforma na Igreja Católica.
Entretanto, pode a igreja ser surpreendida, através deste mesmo conclave e ser eleito um pontífice renovador, mas tudo prece ser muito remoto neste contexto histórico em se encontra mergulhada a própria igreja.

Hoje a Igreja católica está caminhando contra a história. Ela deve acompanhar as transformações e os avanços da ciência e da tecnologia que acontece neste percurso da história da humanidade. Para acontecer mudanças para que venha agregar mais católicos. É imprescindível, um novo chefe supremo da igreja que venha atender os anseios dos seus seguidores.
O que se percebe é uma igreja em crise, esta crise vem afastando fiéis católicos para outras crenças deixando o próprio papa sem ação e cada vez mais fragilizado não só através do peso do tempo, mas principalmente por tudo que acontece dentro da Igreja.
Quando o clero das pequenas e grandes comunidades, espalhadas por todo o mundo que tem sérios problemas não os resolvendo. Todos levam para frente, passando por toda a hierarquia eclesiástica, chegando ao papa o mesmo não solucionando. Todos se tornam impotentes para encontrar uma solução definitiva dos problemas que os levaram a bancarrota.


Portanto a igreja está ansiada por soluções, mudanças que venham ocorrem pós-conclave, que venha logo, os católicos estão nesta grande expectativa do novo Papa. Agora o Vaticano esta vacante. O Papa Bento entra para história como um papa conservador e fraco. Em sua despedida prometeu “incondicional reverencia e obediência ao seu sucessor”, a partir de agora o mesmo será papa emérito. O povo católico permanecerá conectado ao vaticano até sair a fumaça branca que traz a boa nova para a igreja, o próximo papa. E que este procure sanar as chagas da igreja através de mudanças motivadoras de um novo rumo e que o novo condutor deva ser firme em suas decisões sem ceder um milímetro se for preciso para recolocar a igreja na órbita da história atual. Por quer até então, a igreja só tem andado fora de órbita dos grandes avanços da ciência e da tecnologia, das constates mudanças da sociedade na história da humanidade. Resta esperar para ver o que vai acontecer nos próximos capítulos que o próximo escritor terá uma tremenda responsabilidade para redigir esta nova página da história da Igreja católica.